quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Os Jogos Paralímpicos

A Delegação portuguesa nos Jogos Paralímpicos de Pequim, que se realizaram entre os dias 6 e 17 de Setembro de 2008, chegou à China com um único sonho. Portugal estava representado por 33 atletas, entre os quais 12 estreantes, e todos eles fizeram uma única promessa, como principal objectivo: a de terem um grande empenho e honrarem o nosso País.
A comitiva - 8.ª missão portuguesa aos Jogos Paralímpicos - integrava ainda 48 elementos do staff.Os atletas portugueses, 23 masculinos e 10 femininos, participaram num total de 39 provas, nas modalidades de atletismo, boccia, ciclismo, equitação, natação e vela.Os Jogos Paralímpicos de Pequim, contaram com a presença de 4.000 atletas, de 140 países, que competiram em 20 modalidades.
Atletas portugueses presentes: Atletismo: Alexandrino Silva, Carlos Ferreira, Carlos Lopes, Firmino Batista, Gabriel Potra, Gabriel Macchi, José Monteiro, Jorge Pina, Luís Gonçalves, Graça Fernandes, Nuno Alves, Ricardo Vale. Boccia: António Marques, Armando Costa, Bruno Valentim, Cristina Gonçalves, Eunice Raimundo, Fernando Pereira, Fernando Ferreira, João Paulo Fernandes, Mário Peixoto. Ciclismo: Augusto Pereira. Equitação: Sara Duarte. Natação: David Grachat, Diana Guimarães, Joana Calado, João Martins, Leila Marques, Nelson Lopes, Perpétua Vaza, Simone Fragoso. Vela: Bento Amaral, Luísa Silvano.
Estamos com estes atletas ditos diferentes, que antes de alcançarem as marcas mínimas para irem aos Jogos, já venceram os “jogos” impostos pelas barreiras das indiferenças físicas, materiais e principalmente das sociais.

Atletismo


O Atletismo é um desporto para todo o tipo de deficiências. Tem um total de 205 provas (143 masculinas e 62 femininas), incluindo: 100m, 200m, 400m, 800m, 1.500m , 5.000m, 10.000m, maratona, lançamento do peso, lançamento dardo, lançamento do disco, club (lançamento de um engenho exclusivo para atletas com paralisia cerebral), salto em comprimento, salto em altura , triplo salto e pentatlo. Em Atenas competiram cerca de 1.040 aletas. O Atletismo foi inserido nos Jogos Paralímpicos de Roma, em 1960.

Basquetebol em Cadeiras de Rodas


Esta modalidade é para atletas em Cadeiras de rodas. Há torneios masculinos e femininos e cada jogo é composto por quatro períodos de 10 minutos cada. O basquetebol é jogado de acordo com as regras da IWBF (Federação Internacional de Basquetebol em Cadeiras de Rodas) .O Basquetebol em cadeiras de rodas foi inserido nos Jogos Paralímpicos de Roma, em 1960.

Boccia

A modalidade “Boccia” é um desporto único para os Jogos Paralímpicos e está aberto a atletas com Paralisia Cerebral em cadeiras de rodas. Tem como programa 7 provas, para homens e mulheres, que competem em equipas, pares ou individualmente. O jogadores têm como objectivo lançarem as suas bolas (podem ser vermelhas ou azuis) o mais perto possível da bola branca, que é o alvo. As bolas podem ser lançadas com as mãos, pé ou utilizando uma calha. A modalidade “Boccia” foi incluída nos Jogos Paralímpicos de Nova Iorque, em 1984.

Esgrima em Cadeiras de Roda


Esta modalidade é para atletas em cadeiras de rodas e tem no programa 15 provas (equipas e individuais, masculinas e femininas, em florete e espada, só os homens é que competem em sabre. As cadeiras de rodas estão seguras ao chão para dar estabilidade e permitir liberdade de movimentos na parte superior do corpo do esgrimista. Os atletas estão ligados a uma caixa electrónica que conta os toques da arma. Nas provas individuais, o primeiro esgrimista a marcar 5 toques em pools e 15 toques em eliminação directa é declarado vencedor. Nas provas por equipas, os primeiros a marcar 45 toques ganham. A esgrima em cadeiras de rodas foi inserida nos Jogos Paralímpicos de Roma, em 1960.

Ciclismo

Nesta modalidade existem duas disciplinas inseridas nos Jogos Paralímpicos, ciclismo de estrada e de pista. Competem atletas amputados, com paralisia cerebral e cegos, acompanhados de guia e em bicicleta também. As regras e os regulamentos desta modalidade são exactamente iguais aos do ciclismo olímpico; em determinados casos, são permitidas alterações às bicicletas de forma a facilitar atletas com uma deficiência especifica.

Equitação

Este desporto é para todos os grupos de deficiência, dividindo-se em quatro grupos. Os cavaleiros portadores de deficiência apenas competem na disciplina de Ensino, estando programadas nove provas (a nível individual e de equipas). Esta modalidade foi inserida no Jogos Paralímpicos de Atlanta, em 1996.
Futebol 5

É um desporto para atletas masculinos cegos (B1), que são guiados por um guizo que se encontra dentro da bola - o guarda-redes não tem deficiências. Esta modalidade estreou-se nos Jogos Paralímpicos de 20o4, em Atenas.

Futebol 7

Esta modalidade é um desporto para atletas masculinos, com Paralisia Cerebral. Nesta modalidade são aplicadas as regras da FIFA, mas com algumas alterações. Jogam apenas sete atletas em vez de onze e o campo é mais pequeno. O Futebol 7 foi inserido nos Jogos Paralímpicos em 1984, quando foram divididos pelas cidades de Stoke Mandeville, em Inglaterra, e Nova Iorque, nos EUA.

Goalball

O Goalball é um desporto de equipas cujos participantes são cegos ou amblíopes. Existem torneios masculinos e femininos, que são praticados num campo de Voleibol interior, mas todos os atletas têm de usar vendas nos olhos, pois assim jogam todos em pé de igualdade. Os torneios são jogados em duas partes de 10 minutos com três jogadores por equipas; a bola tem um guizo interior, para que os jogadores possam detectar a sua direcção. O objectivo do jogo é cada equipa enviar a bola para o campo do adversário e marcar o golo, enquanto a equipa adversária tenta bloquear a passagem com qualquer parte do corpo (é fundamental que os espectadores mantenham silencio absoluto durante o jogo, pois assim o jogadores conseguem ouvir o guizo que se encontra no interior da bola). Esta modalidade foi inserida em 1976, em Toronto.

Halterofilismo

A modalidade Halterofilismo é um desporto para atletas com deficiência física, que competem em 10 categorias definidas pelo peso do corpo; nestes jogos estão programadas 20 provas masculinas e femininas (10 categorias de peso cada). As mulheres competiram pela 1ª vez em Sydney 2000. Esta modalidade foi inserida em 1988, nos Jogos Paralímpicos de Seul.

Judo

A modalidade Judo é para atletas cegos e amblíopes; para estes jogos estão programadas 13 provas masculinas e femininas, sendo sete categorias de peso para homens e seis para mulheres. As mulheres competiram pela primeira vez nestes Jogos Paralímpicos. Esta modalidade foi inserida nos Jogos de Seul, em 1988.

Voleibol Sentado

O Voleibol sentado é um desporto para atletas com deficiência física. Existem provas de Voleibol de pé e sentado, embora apenas as provas sentadas serão incluídas no programa de Atenas 2004(com 8 equipas masculinas e 6 femininas). O Voleibol sentado é jogado num campo mais pequeno (10x6m) com rede mais baixa (1.15m para homens e 1.05m para mulheres) e cada jogo é composto por um total de 5 sets. Cada dos primeiros 4 sets está completo quando a equipa marcar 25 pontos com uma diferença de pelo menos 2 pontos sobre a equipa adversária. Ganha o jogo a primeira equipa que vencer os primeiros sets. Está modalidade foi inserida, em 1980, nos jogos de Arnhem, na Holanda.

Tiro

Modalidade para atletas com deficiência física. No tiro estão programadas 12 provas: seis mistas, três masculinas e seis femininas. Os atletas podem competir em pé ou sentados. As regras variam de acordo com as disciplinas, distância, tipo de alvo e armas, posição de tiro, número de tiros e o intervalo em que cada tiro tem que ser disparado. Esta modalidade foi inserida, em 1980, nos jogos de Arnhem, na Holanda.

Tiro com Arco

Modalidade para atletas com deficiência motora, individualmente ou em equipas. Podem competir em cadeiras de rodas ou de pé num total de 7 provas. Os Atletas devem atingir um alvo de 122cm, a uma distância de 70 metros. O Tiro ao Arco foi inserido no jogos de Roma, em 1960.

Natação


O programa inclui 7 provas individuais e 2 de estafeta (num total de 167 provas), para todas as categorias masculinas e femininas. Os atletas não podem utilizar nenhum aparelho de assistência ou prótese. Em Atenas efectuou-se uma demonstração por nadadores com deficiência mental. Esta modalidade foi inserida nos jogos de Roma, em 1960.

Ténis em Cadeiras de Rodas


Desporto para atletas com deficiência em cadeiras de rodas. Estão previstas 6 provas, masculinas (individual e pares) e femininas (individual e pares) bem como mistas. Esta modalidade foi um desporto de demonstração nos jogos de Seul, de 1988, e foi incluída no programa dos jogos de Barcelona, em 1992.

Rugby em Cadeiras de Rodas



O Ruby é um desporto para atletas com quadriplegia. Nesta modalidade podem competir homens e mulheres em equipas mistas. Foi um desporto de demonstração nos jogos de Atlanta e foi incluído no programa dos jogos de Sydney, em 2000.

Ténis de Mesa


Esta modalidade é para Atletas com deficiência física, e estão programadas 28 provas, individuais e por equipas, para atletas em pé e em cadeiras de rodas. Os atletas são classificados em dez classes, dependendo das suas capacidades; cada jogo consiste em cinco sets e o primeiro atleta a marcar 11 pontos ganha o set. A modalidade de Ténis de Mesa sofreu algumas alterações para os atletas em cadeiras de rodas. O ténis de mesa foi inserido nos jogos de Roma, em 1960.

Vela


Foi desporto de demonstração em Atlanta, 1996, e entrou, oficialmente, no programa em Sydney, 2000. Participam na modalidade atletas em cadeira de rodas, amputados, deficientes visuais, com paralisia cerebral entre outros. Apenas duas classes fazem parte do programa da vela nas Paraolimpíadas: a classe Sonar, que é composta por três atletas, que recebem pontos que variam de 1 a 7, de acordo com o grau de deficiência, sendo que cada equipa não pode ultrapassar a marca de 12 pontos e a 2,4mR, disputada por apenas um velejador em cada barco.

Remo

Nesta competição obeservaram-se a realização de 4 eventos:
Skiff simples masculino
Skiff simples feminino
Skiff duplo misto
Quatro sem misto

Os Remadores são classificados em função do tipo e do grau da sua deficiência. O sistema de classificação permite remadores para competir contra os outros com um nível semelhante de deficiência.
No remo os atletas são classificados por:
LTA (Legs, Trunk e Arms) - Quatro sem misto
TA (Trunk e Arms) - Skiff duplo misto
A (Arms somente) - Simples masculino e feminino