domingo, 3 de maio de 2009

António Sá Gué - “Os Contos dos Montes Ermos”

António Sá Gué

Nasceu em 1959, na freguesia de Carviçais, Concelho de Torre de Moncorvo, em plena Terra Transmontana. Após terminar o ensino secundário, alista-se como voluntário, com 20 anos de idade, no Exército Português. Passou pelos postos mais baixos e em 1990, ascendeu ao oficialato, após ter concluído o curso no Instituto Superior Militar. Estreou-se na escrita em 2007, com a publicação do romance “As duas faces da Moeda”, obra que, nesse mesmo ano, mereceu a atribuição, por parte da Papiro Editora, o título de “Melhor Conto” publicado no biénio 2006/2007.
É co-autor do livro de contos infantis “Mimos e Contos de Natal “ (Antologia), publicado pela mesma Editora. Nesta colectânea de contos, intitulada Contos dos Montes Ermos, as personagens são gente remota, as terras são longínquas, mas as temáticas são intemporais.
(In Nota Bibliográfica na badana da capa do livro em causa)

“Os Contos dos Montes Ermos” são onze, a saber:
.o Velho;
.o Eucalipto;
.o Comboio;
.o Colégio;
.a Feira;
.o Desertor;
.a procissão;
.o Desmancho;
.a Banda;
.a Ignorância;
.o Formigueiro.

Em Moncorvo, o livro foi apresentado no ano de 2008 na Biblioteca Municipal.
Mais textos e excertos dos livros escritos do autor podem ser lidos no endereço: http://antoniosague.blogspot.com/ , blogue intitulado “Palavras ao vento”.

“…” Queriam estar–nos–montes, mas não atrás–dos–montes. Não por se envergonharem, mas porque estar atrás – dos – montes era estar ultra periférico. Queriam que naquelas estradas não corressem só carros, mas corresse investimento, ciência e formação. Era tempo de a fronteira maronesa ser derrubada. Para lá do Marão mandam os que lá estão, continua a fazer sentido.”

Sem comentários: