domingo, 3 de maio de 2009

Educação tradicional portuguesa e o “romantismo” desapareceram da vida portuguesa do séc. XXI?

A Educação tradicional portuguesa caracteriza-se pelo excessivo proteccionismo, pelos valores religiosos, pelas atitudes baseadas nas cartilhas que passam de geração em geração. Todas as acções são feitas em função dos valores religiosos. Hoje em dia, a educação, ao contrário do que muita gente pensa, é bastante centrada nos valores da educação tradicional portuguesa e no “romantismo”.
Se repararmos, hoje em dia, muitos pais protegem demasiado os filhos. Talvez achem que é uma necessidade fazê-lo, ou então pensam que eles serão pessoas melhor preparadas para o futuro.
As crianças, desde pequenas, são mimadas, porque é obvio que têm de ter um ambiente saudável. A alimentação deve ser adequada, os produtos utilizados têm de estar de acordo com o tipo de pele, têm de protegê-los do frio. Tudo isto é positivo, as crianças têm direito ao melhor, logo seria impensável não proteger uma criança.
Quando entram para a escola, os pais levam-nos e vão buscá-los, pois irem a pé, sozinhos para casa, é uma coisa que está fora de questão. E quando as crianças pedem aos pais se podem ir para o parque brincar com os amigos, também não podem. Porque há bichos, porque te constipas, porque é um mau hábito. Quantos pais não “compram” os filhos com brinquedos, jogos, promessa, para que eles se conformem com o “não”. Julgam que estão a fazer o melhor para eles, quando os estão a estragar.
Os pais, sem terem noção disto, estão a fazer com que os filhos se tornem anti-sociais, que não estejam preparados para o mundo e para o futuro. Fazem dos filhos “espécies solitárias”, sem amigos, sem vivências, sem contactos, porque acham que é em casa (e só em casa!) que vão encontrar pleno equilíbrio. Não há preparação nem física nem psicológica para o exterior. Tantas crianças morrem de medo do mundo desconhecido para elas.
Em suma, a sua vida resume-se a casa - escola, escola – casa.
Para finalizar, há que salientar que apesar de todo o proteccionismo ter alguns aspectos positivos, estes são em menor número que os aspectos negativos. Há que mudar mentalidades, hábitos… pois se no século XXI a educação não se baseia somente em princípios religiosos, a excessiva protecção dos pais face aos filhos, impede – os de criarem um mundo seu e o seu “escudo de protecção”.
Concluindo, muitos dos valores da educação tradicional portuguesa e do “romantismo” mantém-se no séc. XXI.
Ana Escobar, nº1, 11º CHLH

Sem comentários: