domingo, 29 de novembro de 2009

OS DIREITOS INALIENÁVEIS DO LEITOR



A pouco e pouco, os livros foram entrando na minha vida, permitindo-me crescer, aprender, sonhar, viajar, conhecer pessoas, tempos e lugares distantes...

Hoje, não consigo imaginar como seria a minha vida sem eles.


E como as coisas boas desta vida devem ser partilhadas, senti a necessidade de partilhar convosco uma obra que me marcou imenso.

Neste post, não quis deixar de transcrever um excerto daquele que tem sido uma referência para mim, nestas questões da leitura: Daniel Pennac.

Aqui ficam os seus 10 direitos inalienáveis do leitor, para ler, reflectir e aplicar...

O direito de não ler.

O direito de saltar páginas.

O direito de não acabar um livro.

O direito de reler.

O direito de ler não importa o quê.

O direito de amar os “heroís” dos romances.

O direito de ler não importa onde.

O direito de saltar de livro em livro.

O direito de ler em voz alta.

O direito de não falar do que se leu.

Fonte: Daniel Pennac, Como um Romance, Ed. ASA, 1992, p. 155.

Sem comentários: