domingo, 6 de dezembro de 2009

LEITURA... E ANÁLISE LITERÁRIA


Boa noite a todos!

Enquanto vou preparando as aulas da semana, dei por mim a pensar por que razão a maioria dos alunos, sobretudo os do Ensino Secundário, não gostam de ler. Nomeadamente, as obras literárias, as narrativas, os dramas e a poesia.

Mas, se não o fazem, quem irá perpetuar a nossa cultura, aquilo que temos de mais genuíno? Uns dizem que são obras chatas, aquelas do programa; outros, que os autores são aborrecidos ... Meus senhores, decidam-se: se os Realistas são demasiados descritivos, se os homens do Barroco exploram ao máximo as artes oratórias, sempre podem optar pelo Modernismo (Pessoa é o máximo...). Ou entao, para os mais ousados, Saramago é uma boa aposta. São várias as opções... mas, meus amigos, leiam! Vão ver que não dói nada!
Mas será que ainda não entenderam que Ler é a ginástica do cérebro? Não existe melhor forma para o exercitar...

E dizem eles que não gostam, que não o fazem (salvo raras e honrosas excepções, claro está...) pelos mais diversos motivos: uns, dizem que é chato ler; outros, afirmam que nunca o fizeram, por isso ...; outros ainda pensam que a leitura não é fundamental nos dias de hoje; ainda outros há que dizem não saber interpretar os textos que lhe surgem no caminho... Enfim, modernices!!!

Já aqui falámos dos 10 Direitos Inalienáveis do Leitor. Achei por bem relembrar aqui uma leitura que fiz há bastante tempo e, quiçá, poderá ajudar na interpretação das obras literárias.
Trago-vos hoje outro decálogo, muito actual ainda, e que descobri ao folhear as Lições de Literatura Portuguesa, de António Bragança, que tenho cá em casa:


Os Dez Mandamentos da Análise Literária

1- Leitura integral, de contacto, descontraída, que possa fornecer a ideia geral do texto.

2 - Re-leitura de análise (repetida tantas vezes quantas necessárias) com o lápis na mão, assinalando as passagens que mais chamem à atenção ou que envolvam problemas de entendimento.

3 - Consulta do dicionário a fim de resolver dúvidas quanto à denotação das palavras ou expressões.

4 - Re-leitura tendo em mira compreender o índice conotativo das palavras ou expressões.

5 - Apontar as constantes ou recorrências do texto, sobretudo no que toca à conotação.

6 - Interpretar tais constantes ou recorrências.

7 - Consultar as fontes secundárias caso o texto o reclame: história literária, da cultura, biografia do autor, bibliografia, etc.

8 - Organizar em ordem hierárquica de importância as constantes ou recorrências e sua qualidade emocional, conceptual.

9 - Interpretá-las e depreender as lições que comportam.

10 - Conclusão do trabalho e sua redacção final.

Aqui fica a dica... Este trabalho não é muito diferente do que também já fiz e vou fazendo com os meus alunos.
Nem sempre as aulas têm de ser originais, multifacetadas, viradas para as novas tecnologias, organizadas em torno dos nossos aparentemente incontornáveis acetatos, powerpoints, quadros interactivos, trabalhos de pares ou grupos. Por vezes, em aula, é mesmo preciso, simplesmente, seguir estes dez mandamentos e, de lápis na mão, ler e re-ler.
Acreditem que é fabuloso descobrir que os nossos alunos, muitas vezes, nos surpreendem com as suas descobertas, com suas análises.
O importante não é dar o peixe; importante, é ensiná-los a pescar!

Até breve!
J.B.

2 comentários:

Anónimo disse...

A leitura da palavra é uma actividade que o aluno exerce no acto de interagir com algum texto proposto,a leitura é a capacidade que o indivíduo tem de relacionar a leitura da palavra com as suas experiências de vida. É através dela que o aluno consegue visualizar uma realidade diferente do mundo em que está inserido,por meio da leitura da palavra ele pode abrir novos horizontes em sua mente e assim dá margem à criatividade, à imaginação e ao senso crítico.
Hoje em dia, diante das facilidades do mundo virtual e dos encantos da tecnologia,uma prática milenar( a leitura) foi relegada para segundo plano.

Anónimo disse...

Hoje em dia, diante das facilidades do mundo virtual e dos encantos da tecnologia, uma prática milenar( a leitura) foi relegada para segundo plano.
A leitura da palavra é uma actividade que o aluno exerce no acto de interagir com algum texto proposto,a leitura é a capacidade que o indivíduo tem de relacionar a leitura da palavra com as suas experiências de vida.É através dela que o aluno consegue visualizar uma realidade diferente do mundo em que está inserido, por meio da leitura da palavra ele pode abrir novos horizontes em sua mente e assim dá margem à criatividade, à imaginação e ao senso crítico.